terça-feira, 30 de maio de 2017

Tímido, Introvertido ou Intimidado?

     Num mundo falante como o nosso pessoas que são mais silenciosas correm o risco de serem vistas como anti-sociais.
   
     Não é incomum encontrar professores preocupados com alunos que participam pouco por serem quietos "demais" e para piorar ainda tem a nota de participação. Em momentos assim, alguns optam por chamar os pais e bem intencionados sugerem delicadamente que procurem um psicólogo (a) para ajudar o filho a superar o problema.

     Se a criança é agora um adulto e está na fila do emprego, ao conseguir uma entrevista pode muito bem se deparar com uma dinâmica de grupo, que avaliará sua participação no grupo, pois é essencial que se relacione com as pessoas.

     Quando a dor na criança, no adolescente ou no adulto é grande devido suas dificuldades para estar com as pessoas, então sim, é importante buscar ajuda especializada. Mas, antes disso é essencial diferenciar as situações, uma vez que podemos estar na condição de TÍMIDO, INTROVERTIDO ou INTIMIDADO.

     Entre as dificuldades encontradas no campo social pelas pessoas tímidas há uma especialmente importante, que é o medo de situações sociais, onde tenham que se expor de alguma maneira. Assim, facilmente rejeitam convites para determinados tipos de eventos, como festas, palestras que tenham que interagir com o palestrante ou com outras pessoas.

     Pessoas que se reconhecem tímidas arrumam frequentemente desculpas para não estarem em eventos que julguem ameaçadores, pois têm certeza de que vão ser expostas ao ridículo e isso é muito assustador.


     Projetam-se no local e se vêem com as mãos tremendo ao segurar um copo de bebida, pernas bambas, coração acelerado, vertigem, cagueira e rosto vermelho chamando atenção de todos.

     Pessoas tímidas costumam prestar muita atenção em si mesmas e ficam imaginando como estão sendo avaliadas e julgadas pelas outras pessoas e a ansiedade decorrente dessa preocupação faz desencadear seus piores temores, o que acaba resultando numa profecia auto-realizável com a consequente frase: "Eu sabia que ia dar nisso".

     Se pessoas tímidas tem receio de estar em situações sociais, a pessoa introvertida não passa por isso, mas tende a se cansar em ambientes com muito estímulos. Dai a necessidade de saírem "mais cedo" para se recarregarem, ou seja, precisam ficar um pouco isoladas para recarregarem as energias.

     São, geralmente, voltadas à reflexão e consideram "jogar conversa fora" uma grande perda de tempo. Preferem pequenos grupos do que multidões. Podem serem ótimas oradoras, fazerem excelentes palestras, mas podem encontrar dificuldades para conversar com o público após o término.

     Pessoas intimidadas têm características mais próximas das pessoas tímidas. Porém, enquanto as tímidas não desenvolveram suas habilidades sociais devido falta de estímulos adequados e frequentes, as intimidadas foram barradas em seu desenvolvimento.

     São pessoas que sofreram algum tipo de repressão que as deixaram assustadas e muito receosas de viverem novamente a mesma experiência, daí passam a evitar contatos sociais que possam levá-las a reviver momentos dolorosos de suas vidas.

     Como resolver?

     A ajuda de psicólogos pode ser benvinda se a pessoa está em grande sofrimento e não dispõe de recursos internos suficientes para enfrentar a situação sozinha, mas há algumas coisas que podem ser feitas com bons resultados.

     Tímido: tenha em mente que as pessoas são diferentes, mas não superiores ou inferiores a você; Aprenda a controlar sua ansiedade, por exemplo, com exercícios diários de respiração abdominal; não evite eventos sociais, mas se exponha dentro de limites confortáveis, porém cada vez mais amplos; preste atenção em si mesmo e descubra suas potencialidades e se orgulhe delas usando-as; desista de tentar agradar todo mundo, essa é uma tarefa impossível.

   Introvertido: permita-se ser quem é e reconheça seus limites quando seu organismo lhe enviar sinais de cansaço mental em ambientes muito estimulados; amplie sua participação social de forma gradual e confortável, não se exceda.Lembre-se, sobretudo, que num mundo falante pessoas com capacidade de ouvir e escutar de maneira atenciosa e acolhedora são raras e, por isso mesmo, importantes e cada vez mais necessárias.


     Intimidado: A parte instintiva de seu cérebro precisa ser atualizada. Toda vez que o medo surgir repita para si mesmo que já não é mais a mesma pessoa, que agora possui os recursos necessários para enfrentar a situação, mas é fundamental que não se isole, que comece a ampliar suas experiências sociais indo à festas ou qualquer outro lugar que antes rejeitava. Como são situações desencadeadoras de ansiedade, também será útil praticar exercícios de respiração abdominal.

     Não desista e transforme seus sonhos em realidades palpáveis superando dificuldades, reconhecendo e ampliando seus limites e, principalmente, potencializando suas habilidades.